Hipnodontia é uma prática regulamentada pelo Conselho de Odontologia?

A hipnodontia proporciona inúmeros benefícios ao paciente que precisa prosseguir com um tratamento odontológico. Os dentistas estão acostumados a lidar com o medo que os pacientes sentem no consultório, e a hipnodontia tem se mostrado uma ferramenta eficaz para mudar esse quadro.

É importante esclarecer que não existe hipnose médica, hipnose odontológica ou hipnose psicológica. A hipnose é única e possui uma gama diversificada de técnicas que podem ser aplicadas em diferentes contextos, incluindo a odontologia.

Não existe nada de místico nas práticas de hipnose. O hipnoterapeuta acessa o subconsciente do paciente por meio de indução ao estado hipnótico, aquele entre atenção focada e estado de consciência reduzida, caracterizada por maior capacidade de resposta à sugestão. Esta é a definição dada pela Associação Americana de Psicologia.

Uma dúvida comum é sobre a credibilidade do uso da hipnose no consultório do dentista. Este é o nosso assunto de hoje.

Hipnodontia e Conselho Federal de Odontologia

Já tratei neste artigo sobre alguns benefícios de adotar a hipnodontia no consultório do dentista. Mas, será que a prática está regulamentada? A resposta é: sim!

A regulamentação está prevista na resolução 82/2008 do Conselho Federal de Odontologia. Essa resolução regulamenta não apenas o uso da hipnose como também de outras terapias complementares, tais como fitoterapia, homeopatia e acupuntura em benefício dos tratamentos odontológicos.

A resolução leva em conta, ainda, fatores como:

  • A Organização Mundial da Saúde – OMS, reconhece o uso de tais práticas integrativas e complementares nos cuidados com a saúde bucal.
  • O Código de Ética Odontológica, que coloca como dever do cirurgião-dentista manter-se atualizado dos conhecimentos acerca da atuação profissional de forma a priorizar a saúde do ser humano e a coletividade.
  • O avanço das políticas públicas de incremento às práticas integrativas e complementares nas ciências da saúde cria novas perspectivas de mercado de trabalho para o cirurgião-dentista.

A parte da resolução em que trata diretamente a hipnodontia é o capítulo IV. Logo no artigo 19, reconhece a hipnose como prática terapêutica que dispensa o uso de medicamentos e que pode ser usada pelo dentista.

O dentista pode aplicar a hipnodontia?

O uso das técnicas de hipnose no consultório odontológico devem respeitar o campo de atuação profissional do dentista. De acordo com a resolução, pode aplicar a hipnose na odontologia o profissional com formação em cursos de hipnose reconhecidos pelo Ministério da Educação e/ou pelo Conselho Federal de Odontologia.

Esse hipnoterapeuta pode ser o próprio dentista ou um outro profissional com a formação na área.

Atribuições na hipnodontia

Conforme o texto da resolução, são atribuições do hipnodontista:

  • Tratar os medos e ansiedades relacionados às consultas e aos procedimentos de odontologia;
  • Condicionar o paciente para hábitos funcionais, tais como a higiene oral, a adaptação ao tratamento e uso de medicamentos;
  • Tratar e controlar distúrbios neuromusculares e intervir sobre reflexos autonômicos;
  • Preparar pacientes para cirurgias;
  • Usar a hipnose para direcionar a adaptação aos tratamentos;
  • Usar anestesia hipnótica quando necessário;
  • Utilizar a hipnose em processos relacionados a outros fatores do meio odontológico.

Sendo assim, no contexto da odontologia, não é possível utilizar as técnicas de hipnose para outros fins, como mudar crenças que não estão relacionadas às consultas e tratamentos odontológicos.

Espero que meu artigo tenha ajudado.

Até a próxima!

Dra Lindermann

Dr. Mickaela Lindermann

Formada em odontologia pela PUC – PR, Dra. Mickaela Lindermann escolheu a odontologia por se identificar com a área da saúde, e pela felicidade de lidar com pessoas, proporcionando experiências na área de cuidados ortodônticos.