Hipnodontia: como funciona?

A hipnodontia estuda e aplica técnicas de hipnose na odontologia como ferramenta para auxiliar os pacientes durante atendimentos e tratamentos.

São diversas as finalidades para as quais o paciente pode receber uma sessão de hipnose. 

Os motivos podem ser desde ficar mais calmo e receptivo ao tratamento até acelerar alguns processos de cicatrização.

Ao final desse artigo, você vai entender os benefícios que a hipnodontia proporciona e saber sobre alguns mitos e verdades sobre as técnicas.

O que é hipnodontia?

É importante entender que o termo hipnose aglutina muitas técnicas que podem ser utilizadas em diferentes contextos.

Assim, não é possível dizer que existe hipnose odontológica, hipnose médica ou hipnose psicológica.

O hipnólogo elege a técnica mais adequada de acordo com o estado do paciente e o objetivo da consulta.

A hipnodontia é a aplicação da hipnose aos tratamentos odontológicos com objetivo de tornar esse processo mais tranquilo para o paciente.

Entre as principais recomendações, podemos ressaltar:

  • Para tranquilizar o paciente e ajudá-lo a aceitar o tratamento;
  • Para acelerar a adaptação às próteses dentárias e aparelhos ortodônticos;
  • Para controlar ansiedade e fobias;
  • Para diminuir ou curar algumas dores provenientes do tratamento;
  • Para aumentar a eficácia das anestesias aplicadas e diminuir os incômodos causados.

Hipnodontia na prática

O mais indicado é que o próprio odontologista domine as técnicas de hipnose e realize a indução no paciente.

Afinal, a hipnodontia conta com algumas particularidades.

O consultório também pode contar com um hipnólogo que induza o paciente enquanto o dentista se dedica às suas funções tradicionais.

É importante ressaltar que a hipnose não faz o paciente dormir, nem mesmo substitui o uso de anestesia química e outros medicamentos durante o tratamento.

O que ocorre é que ele entra em um estado alterado de consciência, entre a vigília e o sono, típico do estado hipnótico.

O odontologista precisa ter conhecimento sobre as técnicas, a fim de entender e tratar alguns fenômenos.

Entre os efeitos colaterais mais comuns da hipnodontia, podemos citar a modificação do fluxo salivar, a queda da temperatura corporal e o extremo relaxamento muscular ocasionando em dificuldades para abrir a boca durante o tratamento.

Todas essas características devem ser monitoradas e revertidas pelo próprio odontologista.

Vale citar que a hipnodontia é reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Odontologia.

Quais são os resultados da hipnodontia?

Nota-se que quanto mais tenso o cliente está durante a consulta odontológica, maior a quantidade de substâncias a serem utilizadas para que seja possível a realização dos procedimentos odontológicos.

Quanto mais tranquilo o paciente está, menos material o dentista usa para normalizar sua pressão sanguínea, a salivação, o controle do sangramento.

Assim, os incômodos desse tipo de medicação são reduzidos, ou mesmo nulos.

Em alguns casos, ao decorrer do tratamento, as sessões de hipnose não precisam mais ocorrer sempre a cada consulta.

Após algumas consultas, o paciente já aceita o tratamento e se dirige ao consultório muito mais tranquilo.

É evidente a economia de tempo clínico e de material odontológico quando a hipnose é aplicada.

Em diversos casos, a recuperação do paciente após uma cirurgia, ao receber hipnose, é muito mais rápida e facilitada.

O paciente também pode receber hipnose para facilitar a introdução dos hábitos de higiene bucal e eliminação de maus costumes.

Dr. Mickaela Lindermann

Formada em odontologia pela PUC – PR, Dra. Mickaela Lindermann escolheu a odontologia por se identificar com a área da saúde, e pela felicidade de lidar com pessoas, proporcionando experiências na área de cuidados ortodônticos.